Lei de Acesso à Informação
Busca
Parque Tecnologico
Nova molécula contra o câncer

CLAUDIA JUBERG - ASSESSORA DO ICB
dmvi@reitoria.ufrj.br

Pesquisadores do Programa de Oncobiologia da UFRJ desenvolveram uma nova substância candidata a quimioterápico. Criada a partir da matéria prima da Lausona, substância encontrada na tintura henna, o candidato a quimioterápico foi desenhado pelos pesquisadores Chaquip Daher Netto, Paulo Roberto Ribeiro Costa, entre outros do Laboratório de Química Bioorgânica (LQB) da UFRJ. Chaquip esclarece que a nova  molécula tem como alvo células de leucemia que expressam o fenômeno de resistência a múltiplas drogas (MDR, na sigla em inglês). O fenômeno MDR é a ausência de resposta a tratamentos quimioterápicos que certos pacientes apresentam.
 
A substância protótipo, explica Chaquip, surgiu do conhecimento anti-tumoral expresso pelo Ipê unido a uma outra substância, a mitomicina C, isolada da bactéria Streptomyces caespitosus  e utilizada na clínica oncológica. Na verdade, já era conhecida há muito tempo a atividade anti-cancerígena de três substâncias do Ipê: lapachol (que chegou a ser usado na clínica), alfa-lapachona e beta-lapachona. Então, foi a partir desses conhecimentos iniciais, que o Laboratório da UFRJ começou a desenhar a atual molécula que já foi testada em células leucêmicas MDR por pesquisadores do Laboratório de Imunologia Tumoral, também pertencente ao Programa de Oncobiologia da UFRJ.
 
Os testes de viabilidade com linhagens de células de leucemia humana que não respondem a outros quimioterápicos foram realizados depois de três dias de tratamento com a substância, sendo que houve uma morte celular de 50%. E ainda experimentaram em células tumorais de pulmão e o resultado foi igualmente satisfatório com 50% de morte celular. Vale lembrar, que o câncer de pulmão é um dos piores em termos de tratamento. Por outro lado, experimento semelhante foi realizado com linfócitos e mostrou que a viabilidade, depois de três dias de tratamento, foi de 70%, mesmo numa concentração três vezes superior, ou seja, a substância mata pouco as células sadias do organismo.
 
As esperanças na nova substância, denominada LQB 118, são muitas. Não é à toa, que os dois grupos pertencentes ao Programa de Oncobiologia, estão animados com o interesse de uma industria farmacêutica nacional pela substância e também com o depósito em breve de patente. Chaquip diz que o trabalho resultou numa molécula otimizada: fácil de ser construída, que consome menos tempo e muito, muito mais barata com custo estimado em menos 70% do que as substâncias desenvolvidas pelo LQB na primeira geração e, ainda por cima, com eficiência e ótimo resultado: com apenas três micromolar, a substância matou 50% das células leucêmicas. A princípio, essas propriedades permitirão a síntese em larga escala. O projeto que já recebeu recursos do edital do Programa de Oncobiologia  é também financiado pela Finep. O grupo já estudou seis outras moléculas anti-tumorais e iniciam agora estudo com quatro outras derivadas da substância 118. O próximo passo, explica Paulo Roberto Ribeiro Costa, coordenador do projeto, é o estudo in vivo com camundongos.
 
O Programa de Oncobiologia

Idealizado há seis anos, o Programa de Oncobiologia é uma rede no Rio de Janeiro de pesquisa contra o câncer. Nos primórdios reunia cerca de 40 pesquisadores. Porém, no último ano, num processo de credenciamento/re-credenciamento houve um incremento e, hoje, mais de 100 pesquisadores de instituições como a UFRJ, Inca, Uerj e UFF estão reunidos em torno de 27 temáticas de pesquisa em câncer.
 
Coordenado pelo cirurgião oncológico, Marcos Moraes - ex-diretor do Inca por nove anos e atual Presidente da Fundação Ary Frauzino para a Pesquisa e Controle do Câncer -, o Programa conta com investimentos significativos para a pesquisa contra o câncer. As temáticas investigadas no âmbito do Programa percorrem uma gama diferenciada de tumores como tireóide, próstata, rim, pênis, colo de útero, além de estudos sobre os efeitos da contaminação ambiental e neoplasias em modelos animais; relação entre aneuploidia (número alterado de cromossomos), câncer e diferenciação de células-tronco; e mecanismos de ação de novos quimioterápicos.



Publicado em:
04/07/2007
Especialização em Redes - Nova turma em maio 15/04/2014
Ministro Clelio Campolina profere aula inaugural da Coppe 14/04/2014
Nota à comunidade sobre declaração de rendimentos 11/04/2014
3º Encontro Regional Sudeste de História da Mídia acontece na ECO 11/04/2014
Criados novos domínios para sites e e-mails das pró-reitorias 11/04/2014
Alteração do prefixo 2598 11/04/2014
Militante poderá concluir curso após 50 anos do golpe militar 09/04/2014
Base Minerva em manutenção 09/04/2014
Decania do CFCH prorroga prazo de inscrição para pesquisas eleitorais 09/04/2014
Joinville recebe encontro sobre a internacionalização da educação superior 09/04/2014
Fórum de Ciência e Cultura promove palestra sobre autonomia universitária 09/04/2014
UFRJ forma primeira turma de especialistas em acessibilidade cultural do país 09/04/2014
2014: Ano da Memória e Verdade da UFRJ 08/04/2014
Vice-prefeita de Barcelona no Parque Tecnológico da UFRJ 08/04/2014
Eventos reúnem pesquisadores na Escola de Enfermagem da UFRJ 08/04/2014
IBqM recebe bioquímico Sir Philip Cohen 08/04/2014
Mudanças climáticas acirrarão conflitos entre países 07/04/2014
Coppe promove debate sobre golpe de 64 visto por diferentes olhares 07/04/2014
Participe da pesquisa online sobre ensino universitário 04/04/2014
VOLTAR
Cartas de Serviços dos Hospitais Universitários - Você poderá conhecer o conteúdo de cada Carta de Serviços ao Cidadão com as devidas orientações de participação e manifestação. .
UFRJ Notícias - Boletim semanal com informações de interesse geral sobre a UFRJ, voltado para todos os públicos. Produzido pela Assessoria de Imprensa do Gabinete do Reitor, funciona também como divulgador de pautas para a imprensa.
PORTAL DE EVENTOS - Esta ferramenta de Integração à Comunicação da UFRJ e tem o propósito de dar visibilidade às atividades Institucionais, Acadêmicas, Científicas e Culturais. CADASTRE AQUI SEU EVENTO
Super AFSede - CoordCOM: A Superintendência Geral de Atividades Fora da Sede foi criada para atender à política de ampliação da oferta de vagas e da necessidade de interiorização dos cursos no âmbito da UFRJ
Campus UFRJ - Xerém:  presença da UFRJ na produção de conhecimento e no crescimento do município de Duque de Caxias e da região da Baixada Fluminense.
CRIAR: tem como missão identificar, estimular e promover iniciativas inovadoras de unidades acadêmicas e órgãos suplementares da UFRJ, além de constituir-se num elemento de interface para o relacionamento e transferência dessas iniciativas para os demais agentes do desenvolvimento econômico e social, públicos e privados.
Monitoramento de trânsito: Verifique o trânsito nas saídas da Cidade Universitária pelas câmeras pela Prefeitura da UFRJ - CET-Fundão.
Superintendência Geral de Comunicação Social da UFRJ:  atua como mecanismo comunicacional integrador da universidade com as suas unidades acadêmicas e com a sociedade em geral.
Campus UFRJ-Macaé:  presença da UFRJ na produção de conhecimento e no crescimento do município de Macaé e da região do Norte Fluminense.
WebTV UFRJ:  veículo da Superintendência Geral de Comunicação Social da UFRJ, orientado para a produção de videojornalismo e produtos audiovisuais especiais.
SUPEREST - Superintendência Geral de Políticas Estudantis: tem por objetivo constituir-se numa estrutura pedagógico-administrativa vinculada ao Gabinete do Reitor, voltada ao planejamento, coordenação, acompanhamento e avaliação dos programas e ações direcionados à comunidade discente.
Imagem UFRJ: banco de imagens da Superintendência Geral de Comunicação Social da UFRJ.
Superintendência de Tecnologia da Informação e Comunicação da UFRJ: é vinculada à Pró-reitora de Gestão e Governança (PR-6).